Gráficos, como usar?

Gráficos, como usá-los corretamente? (parte 2)

[su_accordion][su_spoiler title=”Mais sobre gráficos…” open=”no” style=”default” icon=”plus” anchor=”” class=””][su_posts tax_term=”668241733″][/su_spoiler][/su_accordion]

Gráfico é informação, não decoração

Um gráfico é um elemento de informação, não decoração. Deve compor o argumento explicativo do autor em um texto. Deve fazer sentido para o leitor. Por isso, as duas primeiras regras a serem observadas para a construção de um gráfico devem ser a clareza e a coerência.

Clareza

clareza está diretamente relacionada com a simplicidade. Simplicidade não significa omitir informações, pelo contrário: significa dispor um conjunto complexo de informações de forma fácil de ser compreendida.

Coerência

Tudo em um gráfico deve ser informativo, nada deve ser ilustrativo. O tipo de gráfico, as cores, disposição das legendas, espessura das linhas, escala dos eixos, título, fonte, ou seja, todas as partes de um gráfico são informações que devem ser pensadas de forma coerente para permitir o melhor entendimento possível do leitor sobre os dados apresentados.

Consistência

Essa combinação coerente de elementos visuais que compõe um gráfico deve prezar a consistência da informação. Em primeiro lugar, isso quer dizer que o autor do gráfico não vai deliberadamente manipular elementos visuais para forçar uma interpretação dos dados. Isso acontece com uma frequência maior do que o aceitável com os chamados “infográficos” publicados na imprensa, principalmente em período eleitoral.

Exemplo de distorção de dados na Pesquisa eleitoral Rio de Janeiro – O Globo, 29/09/2016

No gráfico acima1, faltam diversas informações, mas as duas principais inconsistências (intencionais) são:

  • a escala do eixo y (vertical), no qual o valor de 9 pontos aparece próximo ao valor de 31 pontos;
  • a inclinação forçada da reta, que leva o leitor a crer que um aumento de oito para nove pontos percentuais (um ponto) é mais acentuado do que o aumento de 29 para 31 (dois pontos percentuais).

Não importa a justeza da causa defendia, nada justifica a deturpação dos dados. A informação visual deve ser sempre consistente com os dados. O autor deve manter o rigor e a consistência lógica dos elementos visuais que está utilizando em sua análise. Usado de maneira correta, um gráfico é um instrumento importante para a construção do argumento explicativo. Nunca deve ser tratado como um acessório ou adorno no texto, muito menos como recurso para manipulação intencional dos leitores.


  1. Confira a reportagem “No Rio, Candidatos recorrem a pedalada gráfica para maquiar desempenho: Juiz eleitoral afirma que tática de alterar curvas é propaganda irregular”. Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/no-rio-candidatos-recorrem-pedalada-grafica-para-maquiar-desempenho-20198224#ixzz4uYEq05KB [return]

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.